terça-feira, 16 de agosto de 2016

Resenha -- Azeitona


Faz um tempinho que não posto resenhas e não é por um mal motivo. Estava acumulando uma boa quantidade de leituras pra colocar tudo de uma vez. Alguns livros conseguiram me prender rapidamente, outros demoraram dias pra me fazer engatar. Felizmente, esse livro foi um que me ganhou facilmente. Não vou mentir que quando vejo que o livro é de um youtuber eu fico com uma orelha em pé. Não é segredo pra ninguém que o gigantesco número de seguidores de algumas dessas celebridades da internet influenciam e muito as editoras na hora de assinar os contratos. Algumas delas não estão nem aí pra saber se o cara escreve bem ou não, só querem vender. Mas não é o caso do Bruno. Ele é youtuber, tem um grande público, mas, pasmem, ele escreve bem sim. E eu fiquei muito feliz em ver que existem youtubers desenvolvendo bons trabalhos. Porquê basta ler pra ver que esse livro foi feito por ele. Tem o jeito dele. A pegada dele. É uma leitura muito boa e que me deu um grande prazer em ler.
Fiquem agora com minha resenha.




Livro: Azeitona
Autor(a): Bruno Miranda
Páginas: 352
Editora: Outro Planeta 


Sinopse: Ian e Emília não trocaram mais que duas palavras desde que começaram a estudar juntos, mas é o nome dela que vem à mente dele quando precisa de uma parceira para um plano mirabolante: participar de um reality show sobre casais adolescentes que vão ser pais.Isso em troca de um cachê capaz de resolver todos os seus problemas. Ian tem dezesseis anos e foi criado pela irmã, Iris, que precisou abrir mão de oportunidades na vida para cuidar dele. Agora, quando ela finalmente vai conseguir se formar na faculdade, ele se sente na obrigação de retribuir de alguma maneira. Emília, aos dezessete anos, não quer retribuir nada a ninguém – pelo contrário, seu sonho é sair de casa o quanto antes para não discutir mais com a mãe, com quem sempre teve uma relação conturbada.
O fato de que eles não são um casal nem têm planos de ter um bebê de verdade parece apenas um detalhe. Mas a vida reserva surpresas, nem sempre boas, para quem acredita que é fácil inventar a própria história.
O romance de estreia de Bruno Miranda, criador do canal Bubarim, no Youtube, é uma história divertida e tocante sobre relacionamentos familiares.

Como comecei a falar lá em cima, não sabia se o livro do Bruno Miranda seria um desses que faz a gente enfartar de tanta alegria ou um daqueles que faz a gente ter raiva da editora por ter apostado em algo assim apenas pela fama do autor. Não tem como negar que tenho um certo preconceito quando as editoras anunciam alguns autores youtubers. Já li tanta coisa ruim, algumas até que eu sabia que o autor nem tinha escrito, que aprendi a fazer origami com meu papel de trouxa por ter sido feito de palhaço por tal editora.
Mas o fato em questão é que de cara eu já notei que o livro de fato havia sido escrito pelo autor. Isso já é bom. Não existia ali enganação nenhuma. Se o livro fosse bom ou ruim o mérito seria inteiramente do Bruno e eu não ficaria com aquela sensação de ser feito de palhaço. Pelas palavras e referências que haviam na leitura, principalmente nos capítulos iniciais, é possível notar que existia a marca do Bruno ali. Acho que quem leu deve ter observado uma pegada própria do autor.

Curioso chegando.

Mas, antes de começar a falar do livro, uma coisa me deixou bastante curioso, o que é bom: o título.
Eu já comecei a leitura esperando pelo momento em que descobriria o porquê de se chamar “Azeitona”.  A sinopse não tinha nada que pudesse entregar esse mistério, o que ao meu ver é excelente, e se tem uma coisa que me ganha em um livro logo de cara são esses títulos que fazem a gente pensar e ficar esperando pela sua grande revelação.

Até começar a leitura eu não havia lido resenha nenhuma. Procuro não fazer isso para não correr risco de influenciar na minha opinião. Querendo ou não, a gente pode acabar sendo levado pra um lado ou para outro, mas sem querer eu vi uma postagem de uma blogueira dizendo que havia achado o início do livro um pouquinho maçante, mas que aconselhava todos os leitores a não desistirem e continuarem, pois logo a história iria engatar e seria impossível de parar.

Eu não sou de deixar livro na metade. Só fiz isso uma vez na vida. O máximo que pode acontecer é parar a leitura e continuar no dia seguinte, ou dois dias depois, ou uma semana depois. Mas desistir eu não desisto.
Assim que comecei a leitura me deparei com uma escrita muito boa do Bruno. Um excelente uso das palavras e nada daquelas repetições que fazem a gente bocejar. Mas... realmente achei os primeiros capítulos bem chatinhos. Existiam explicações demais sobre coisas que eu não achei que fossem necessárias. Eu queria pular aquelas páginas e partir pra a parte do livro que fosse realmente interessante.
Mas me contive. Acreditei no que a blogueira havia dito e fui em frente. Eu comecei a ler o livro por volta das 18h, então eu poderia deixar o livro de lado, já que estava chatinho de início, e voltar no dia seguinte. Mas pra minha sorte era um sábado que eu não tinha nada pra fazer.
Continuei a leitura e quando me dei conta eu estava completamente preso a história. Foi tipo um furacão, de repente. Terminei ele na mesma noite. Madrugada, na verdade.

Não é esse Ian, mas é legal como ele.

O livro gira em torno de Ian e Emília. Eles nem são amigos direito, mas o rapaz só consegue pensar nela quando uma proposta completamente pirada aparece no seu caminho.
Participar de um reality show sobre pais adolescentes é uma grande oportunidade de conseguir uma ótima quantia em dinheiro e resolver muitos de seus problemas. Mas isso significa se expor, e expor também aquela pessoa que resolver acompanhar nessa aventura.
Fato é que Ian não tem ideia do que está fazendo direito quando coloca Emilia nessa encrenca, e ela vê ali uma oportunidade de enfim conseguir se libertar de seus problemas.

Mas como Ian e Emilia podem participar de um reality sobre pais adolescentes se eles nem namoram e ela nem está grávida?

Não é apenas Ian e Emilia que nos conquistam com seu jeito de ser. A irmã de Ian é uma dessas personagens coadjuvantes que acabam nos ganhando aos poucos. A história sempre ganha caminhos que não imaginávamos e nos faz pensar e repensar nos rumos que aquela história poderá tomar.

Bruno Miranda tem uma pegada literária digna de uma nova remessa de autores que tem tudo para entrar no mercado e levar uma legião de fãs. Não apenas pelo seu canal, mas pela sua escrita criativa. A história flui de uma jeito espetacular, e mesmo quando os acontecimentos mais complicados surgem, nos perguntamos como os personagens poderão sair dessa.

Observando até onde essa história vai nos levar.

Será que o Bruno vai se perder na história?
Não. Ele não se perde.

Sabe aquele livro que não apenas diverte mas faz você pensar um pouco na vida? Azeitona é um desses.
Sempre que surgia uma pergunta na minha cabeça, imaginando que ele poderia deixar uma ponta solta na trama, o Bruno ia lá e respondia minhas dúvidas. 
A reta final é capaz de fazer a gente enfartar. São tantos acontecimentos que a gente fica revoltado com as atitudes de certos personagens. Em um momento eu quis matar a Emilia. Não tem como a gente não se apegar ao Ian e torcer pra que ele consiga tudo o que deseja. Mas as coisas não são tão fáceis, e a vida sempre coloca alguns obstáculos no nosso caminho.

Bruno Miranda consegue nos ganhar com uma escrita excelente e um livro fascinante. Não vou negar que estou curioso para saber qual o próximo livro que ele irá publicar. Desejo todo sucesso do mundo e que Azeitona ganhe muitos leitores. Ah, e existe uma explicação lógica pra o livro se chamar azeitona.
Além disso, o final é daqueles que nos faz suspirar e abraçar o livro depois da leitura. Não é aquele final clichê, é um final que segue uma lógica. Todos os acontecimentos são muito bem explicados, cada fato. Tudo.
Bruno, quero ser seu amigo, tá?



Espero que tenham gostado da minha resenha e voltem sempre.



------------------------------------>



E vocês, seus lindos, que vem aqui, leem nossas matérias, mas não deixam um comentário, não me seguem nas redes sociais, nem dizem um oi para o pobre colunista aqui, só tenho um recado: estou de olho.

Instagram do Leitores Anônimos: @leitoresanonimos


Me segue Insta: @Jamarcosreal
Me segue no twitter: @jamarcosreal



Reações:

0 comentários:

Postar um comentário