terça-feira, 6 de dezembro de 2016

CCXP 2016: atores de 3% foram confundidos com moradores de rua em gravações

A série brasileira 3% estreou no último dia 25 de novembro na Netflix, mostrando uma sociedade dividida entre progresso e devastação sob a ótica de jovens que estão do lado desfavorecido. E, curiosamente, isso não acontece apenas no mundo da ficção, já que a realidade muitas vezes pode se mostrar mais dura do que muitos imaginam.
Durante uma coletiva de imprensa realizada na Comic-Con Experience no último domingo (4), o ator Michel Gomes (que interpreta o cadeirante Fernando na série) revelou, após ser cutucado por outros colegas de elenco, que ele e outros atores foram vítimas de olhares mais duros durante algumas gravações.
“Nas gravações teve gente que achou que nós éramos mesmo moradores de rua por causa do figurino. O olhar das pessoas fez com que nós nos sentíssemos como meninos de rua”, lembrou o ator no bate-papo.
Aliás, ele não foi o único a comentar sobre algo mais crítico nesse bate-papo. A atriz Bianca Comparato, que interpreta a personagem Michele, fez um comparativo entre o nosso país e a série ao mencionar que “o Brasil já é uma distopia”.
Atores de 3% na coletiva de imprensa da Comic-Con Experience 2016
E a recepção do público?
Estando diante de uma produção nacional, a grande dúvida que pode passar pela cabeça de muitos é: como foi a recepção do público? No que diz respeito a esse ponto, alguns atores deram a sua opinião sobre o assunto.
“A gente esperava críticas muito positivas e muito negativas. Eu acho bom que tenha, mostra que estamos provocando, fazendo as pessoas pensarem. Tem coisas apontadas que precisam ser melhoradas, e a ideia é fazer uma segunda temporada melhor, se tiver [e vai ter]”, comentou a intérprete de Michele.
“Existe algo que não estava sendo explorado, e o público sedento disso está feliz com o resultado”, revelou Vanessa Oliveira, que vive a personagem Joana na ficção.
E você, já assistiu 3%? O que achou da série brasileira na Netflix?
Via TecMundo

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário