quinta-feira, 23 de novembro de 2017

Armie Hammer ainda não aceitou o fato de Casey Affleck ter ganhado o Oscar

Recentemente, Armie Hammer, ator que está em trabalho de divulgação do seu novo filme, Me Chame pelo Seu Nome, disse que não aceita o fato de Casey Affleck ter ganhado o Oscar de melhor ator por Manchester à Beira-Mar mesmo enfrentando acusações de abusos sexuais. Ele usou o exemplo do seu último filme, Nascimento de uma Nação, cujo diretor e ator principal Nate Parker foi cruelmente malhado pela imprensa norte-americana.
Parker foi processado por uma acusação de estupro nos seus tempos de faculdade, mas foi inocentado. Durante a campanha para o Oscar deste ano, o caso voltou à tona, e por consequência o diretor e o filme foram completamente ignorados pela Academia — e Hammer, que era coadjuvante, tinha grandes chances de indicação. Em nenhum momento ele defende o diretor, mas quando questionado a respeito, explica seu ponto de vista:
“Parker teve um incidente, que foi hediondo e pesado, e teve sua vida inteira afetada da pior forma possível. Enquanto isso, o outro cara ganhou o maior prêmio que você pode ganhar como ator. Não faz sentido algum.”
Os processos sofridos por Affleck foram movidos por duas mulheres que trabalharam com ele no set de Eu ainda estou aqui, em 2010. Elas o acusaram de ficar nu na cama com elas enquanto dormiam e sem consentimento delas, além de fazer comentários extremamente inapropriados.
Desde então, Affleck não comentou mais sobre o caso e, mesmo se tratando de um episódio recente, ele ganhou diversos prêmios. Esse fato gerou incômodo em Hammer, que acredita que existem dois pesos e duas medidas para esses casos em Hollywood. Mesmo sem entrar claramente no âmbito do preconceito racial — Parker é negro e Affleck é branco —, ele crê em uma diferença de tratamentos.
Este texto foi escrito por Pedro Henrique via N-Experts.

Reações:

0 comentários:

Postar um comentário