35 ótimos filmes que foram fracassos de bilheteria - Leitores Anônimos

Post Top Ad

Leitores Anônimos

35 ótimos filmes que foram fracassos de bilheteria

Compart
Pode ser injusto, mas os números nas bilheterias dos cinemas determinam qual filme é um sucesso ou não. E isso é até compreensível, já que os estúdios investem milhões de dólares e esperam, ao menos, que a bilheteria cubra os custos de produção.
O problema é que muita gente deixa de ver ótimos filmes por causa disso. Na impressão de que um fracasso de bilheteria significa que o título é ruim, boas histórias deixam de ser apreciadas pelos amantes da sétima arte. E muitos desses longas acabam virando clássicos depois de alguns anos. Nada como o passar do tempo, não é mesmo?
Por isso, o Minha Série preparou uma lista com 35 filmes que foram mal na bilheteria, mas merecem uma chance.
[color=rgb(112, 122, 140); font-size: 20px; font-weight: bold]35. [/color]mãe![color=rgb(112, 122, 140); font-size: 20px; font-weight: bold](2017)[/color]
  • Investimento: US$ 30 milhões
  • Bilheteria: US$ 17 milhões
O polêmico filme do também polêmico diretor Darren Aronofsky dividiu opiniões e se tornou aquela obra definida como "ame-a ou deixe-a". O filme mãe! está longe de ser uma obra-prima, como muitos críticos afirmaram, mas também está bem distante de ser péssimo e merecia uma atenção maior do público.

34. Blade Runner: O Caçador de Androides (1982)

  • Investimento: US$ 28 milhões
  • Bilheteria: US$ 27,5 milhões
Hoje em dia, a versão de 1982 de Blade Runner virou um clássico, mas na época de seu lançamento a obra de Ridley Scott mal teve seu custo de produção coberto. A culpa? A forte concorrência de dois arrasa-quarteirões: E.T. - O Extraterreste e Jornada nas Estrelas II: A Ira de Khan.

33. Ali (2001)

  • Investimento: US$ 107 milhões
  • Bilheteria: US$ 58,2 milhões
A cinebiografia do boxeador Muhammad Ali foi bastante comentada, mas talvez o público esperasse algo mais como Rocky Balboa. O diretor Michael Mann preferiu abordar conflitos mais complexos e psicológicos do herói nacional. Infelizmente, o filme amargou uma bilheteria injusta.

32. Filhos da Esperança (2006)

  • Investimento: US$ 76 milhões
  • Bilheteria: US$ 35,6 milhões
Nem só de glória vive o diretor mexicano Alfonso Cuáron. O filme distópico Filhos da Esperança, que mostra como seria nosso planeta se as mulheres não engravidassem mais, amargou na bilheteria, mas conquistou o coração da crítica.

31. A Viagem (2012)

  • Investimento: US$ 128,5 milhões
  • Bilheteria: US$ 27,1 milhões
Os criadores e diretores de Matrix Sense8, os irmãos Wachowski, tentaram adaptar um livro difícil e complexo para as telas do cinema para contar uma pirâmide de histórias que vão se entrelaçando em diversas épocas do mundo. O épico confundiu a cabeça de muita gente, e o público não se interessou muito em ir conferir a obra.

30. Clube da Luta (1999)

  • Investimento: US$ 63 milhões
  • Bilheteria: US$ 37 milhões
Se hoje o filme de David Fincher é um clássico, na época do seu lançamento o público não saiu muito de casa para assisti-lo. A Fox adiou o lançamento inúmeras vezes e arrecadou valores bem abaixo do esperado. Ainda bem que o tempo corrigiu esse resultado e fez Clube da Luta alcançar números bem mais expressivos.

29. Um Sonho de Liberdade (1992)

  • Investimento: US$ 25 milhões
  • Bilheteria: US$ 16 milhões
Nem as críticas positivas e as sete indicações ao Oscar fizeram a audiência prestigiar um dos filmes mais elogiados de 1994. Ironicamente, em 1995 o longa bateu recorde em locadoras de vídeo.

28. Cartas de Iwo Jima (2006)

  • Investimento: US$ 19 milhões
  • Bilheteria: US$ 13,7 milhões
Cartas de Iwo Jima, de Clint Eastwood, foi lançado poucos meses depois de A Conquista da Honra, também sobre a Segunda Guerra Mundial, que mostrava a vitória norte-americana na crucial batalha de Iwo Jima (uma ilha japonesa no Pacífico). Cartas de Iwo Jima aborda a mesma batalha, só que do ponto de vista japonês. Tanto o primeiro longa quanto o segundo foram fracassos retumbantes na bilheteria.

27. Encontro Marcado (1998)

  • Investimento: US$ 90 milhões
  • Bilheteria: US$ 44,6 milhões
Com mais de 3 horas de duração, a história sobre um milionário que, antes de morrer, faz um pacto com a morte não caiu no gosto do público, mas hoje em dia virou um longa a ser assistido em um sábado chuvoso em casa quando você estiver de bobeira. Vale a pena.

26. Popstar: Sem parar, Sem limites (2016)

  • Investimento: US$ 20 milhões
  • Bilheteria: US$ 9,5 milhões
O filme é uma sátira sobre a indústria da música atual e rendeu boas críticas, mas o público rejeitou belissimamente.

25. Um Plano Simples (1998)

  • Investimento: US$ 30 milhões
  • Bilheteria: US$ 16,3 milhões
Depois do sucesso de Fargo, um filme sobre a tentativa de realizar um crime simples, que vai dando cada vez mais errado conforme a história avança, parecia ser a receita perfeita. Três homens descobrem um avião enterrado na neve e encontram milhões de dólares dentro da aeronave. O plano é apenas guardar o dinheiro em silêncio e mudar de vida. A crítica adorou; o público, não.

24. Os 7 Suspeitos (1985)

  • Investimento: US$ 15 milhões
  • Bilheteria: US$ 14,6 milhões
Esse quase cobriu pelo menos os custos de produção, mas não chegou lá. Durante um jantar em uma mansão isolada, Sr. Boddy, o anfitrião da noite, admite ser o homem que está chantageando todos os convidados. As luzes se apagam, ele aparece morto, e agora todos são suspeitos. O filme foi baseado no jogo de tabuleiro Detetive.

23. Southland Tales: O Fim do Mundo (2006)

  • Investimento: US$ 17 milhões
  • Bilheteria: US$ 275,3 mil
Esse fez feio na bilheteria e derrapou na crítica, mas hoje em dia é considerado uma obra incompreendida. O filme é do mesmo diretor de Donnie Darko, Richard Kelly, e tem uma sinopse curiosa (ou trash). Com os Estados Unidos sob ameaça de um ataque, as vidas de várias pessoas convergem em uma imaginária Los Angeles. A estrela de cinema Boxer Santaros planeja seu próximo filme com a ajuda da ambiciosa atriz pornô Krysta Now e o inquieto policial Roland Taverner. Enquanto isso, revolucionários marxistas, corporações gananciosas e agências secretas do governo exercem suas agendas separadas de um povo paranoico. Infelizmente, nem o elenco trazendo Dwayne Johnson, Seann William Scott e Sarah Michelle Gellar salvou o filme do fracasso.

22. O Assassinato de Jesse James Pelo Covarde Robert Ford (2007)

  • Investimento: US$ 30 milhões
  • Bilheteria: US$ 3,9 milhões
Nem a sinopse interessante nem a presença de Brad Pitt foram o suficiente para despertar o interesse do público. Carismático e imprevisível, Jesse James (Pitt) foi o mais notório fora-da-lei da América. Ele planejava mais um de seus grandes assaltos quando soube que seus inimigos, ávidos por glória e fortuna, haviam se lançado em uma corrida para capturá-lo. James declara guerra a todos eles. No entanto, não poderia imaginar que a maior ameaça à sua vida viria de um dos homens em quem mais confiava.

21. Um Tiro na Noite (1981)

  • Investimento: US$ 18 milhões
  • Bilheteria: US$ 12 milhões
O diretor Brian De Palma estava em evidência no cinema em 1981, por isso Um Tiro na Noite era bastante esperado, mas não rolou empatia com os americanos, embora os críticos tenham amado. Um Tiro na Noite conta a história de Jack Terri (John Travolta), um sonoplasta de filmes B que, ao gravar um acidente de carro, salva a vida de Sally (Nancy Allen) e sabe, na hora, que ela estava acompanhada do governador e candidato à presidência, que morre. Jack se vê em um suspense de verdade, assim como nos filmes que ele ajuda a produzir.

20. Era Uma Vez na América (1984)

  • Investimento: US$ 30 milhões
  • Bilheteria: US$ 5 milhões
Brigas entre diretores e produtores marcaram os bastidores de Era Uma Vez na América, que hoje é um clássico. O filme só ganhou relevância depois que uma versão com mais de 3 horas foi divulgada (a versão do diretor Sergio Leone tinha mais de 4 horas!). A história se passa em Nova York e mostra alguns amigos que crescem cometendo crimes e se tornam respeitáveis mafiosos. Todos eles são mortos, exceto um, fazendo com que o sobrevivente volte ao seu bairro de origem para descobrir o que houve.

19. O Cavaleiro Solitário (2013)

  • Investimento: US$ 215 milhões
  • Bilheteria: US$ 89,3 milhões
Há tempos Johnny Depp vem errando feio na carreira (e na vida pessoal, vamos confessar). O Cavaleiro Solitário dividiu opiniões, mas foi certamente um fracasso na bilheteria. Depois de ser salvo pelo índio guerreiro Tonto de uma emboscada que matou seu irmão, o homem da lei John Reid decide usar uma máscara para se vingar dos assassinos, se transformando no lendário Cavaleiro Solitário.

18. A Árvore da Vida (2011)

  • Investimento: US$ 32 milhões
  • Bilheteria: US$ 13,3 milhões
Terrence Malick é um diretor contemplativo, e A Árvore da Vida foi um dos filmes mais elogiados de 2011. O longa é belíssimo, levou a Palma de Ouro em Cannes e mais de uma dezena de prêmios mundo afora, mas não animou o público, infelizmente. A história retrata uma típica família americana dos anos 50, formada por um casal e três filhos. A rígida educação, o ambiente e o passado ainda permeiam a vida de Jack, o filho mais velho, que na vida adulta tenta se reconciliar com o pai. Mais um na lista de Brad Pitt.

17. Steve Jobs (2015)

  • Investimento: US$ 30 milhões
  • Bilheteria: US$ 17,8 milhões
Nem mesmo o Globo de Ouro de melhor roteiro adaptado foi o suficiente para alavancar a bilheteria de Steve Jobs, filme dirigido pelo oscarizado Danny Boyle (Quem Quer Ser um Milionário?). O filme destaca momentos decisivos na vida de Steve Jobs, desde o lançamento do primeiro Macintosh, em 1984, e a criação da NeXT Inc. até a introdução revolucionária do iMac. Fatos da vida pessoal de Jobs também são revelados, especialmente o conturbado relacionamento com sua primeira filha, Lisa.

16. Showgirls (1995)

  • Investimento: US$ 45 milhões
  • Bilheteria: US$ 20,4 milhões
Hoje em dia, Showgirls é até cultuado, mas na época chegou a ganhar o Framboesa de Ouro de pior filme. Nomi Malone se muda para Las Vegas e começa a trabalhar como dançarina em uma boate de quinta categoria. Ela se torna substituta de uma das strippers, dorme com o chefe e é capaz de tudo para ser a principal dançarina do grupo.

15. O Fundo do Coração (1982)

  • Investimento: US$ 26 milhões
  • Bilheteria: US$ 636,7 mil
Francis Ford Coppola amargou um grande fracasso após viver a glória com O Poderoso Chefão e Apocalypse Now. Clássico incompreendindo, O Fundo do Coraçãoé um dos filmes visualmente mais belos já feitos no cinema, além de extremamente delicado. No fim de semana do Dia da Independência, em uma Las Vegas onírica, Hank e Frannie decidem que seu casamento chegou ao fim e se separam. Durante o feriado, eles buscam outras paixões, mas descobrem que elas são tão ilusórias quanto o falso brilho da cidade que os cerca.

14. As Aventuras do Barão de Münchausen (1988)

  • Investimento: US$ 46,6 milhões
  • Bilheteria: US$ 8,1 milhões
Vencedor de vários BAFTAS e indicado a vários Oscars, As Aventuras do Barão de Münchausen infelizmente não agradou o público. O diretor Terry Gilliam, unindo alguns de seus amigos do grupo Monty Python, criou uma aventura lírica sobre a famosa lenda do Barão de Münchausen, que voa com seu balão por todos os cantos do mundo para encontrar velhos companheiros de luta.

13. Bem-Amada (1998)

  • Investimento: US$ 80 milhões
  • Bilheteria: US$ 22,9 milhões
Tinha tudo para dar certo. Jonathan Demme, vencedor do Oscar de melhor diretor por O Silêncio dos Inocentes, adaptou um romance da vencedora do Pulitzer, Toni Morrison, e se uniu à Oprah Winfrey para contar uma história impactante. Mas o público não ficou nada impressionado. Em 1873, uma ex-escrava, que vive perto de Cincinnati com sua família, é surpreendida com a visita de um velho amigo da época em que ambos eram escravos. Ele decide se mudar para a mesma cidade, e logo vários mistérios são revelados.

12. Os Aventureiros do Bairro Proibido (1986)

  • Investimento: US$ 25 milhões
  • Bilheteria: US$ 11,1 milhões
John Carpenter era um excelente diretor, mas em 1986 um filme seu não agradou o público e enfrentou diversos problemas durante sua produção. Os Aventureiros do Bairro Proibido é uma parceria de Carpenter com o ator Kurt Russell. Embora o longa tenha sido originalmente concebido como um faroeste da década de 1880, o roteirista WD Richter foi contratado para reescrever o roteiro e modernizar tudo. O estúdio contratou Carpenter para a direção e apressou a produção para ele ser lançado antes de um filme de Eddie Murphy com temática semelhante (O Rapto do Menino Dourado), programado para sair quase ao mesmo tempo. A obra recebeu críticas mistas, que deixaram Carpenter desiludido com Hollywood e influenciaram sua decisão de voltar para o cinema independente. O filme é cultuado devido ao seu sucesso nas locadoras de vídeo.

11. Brazil: O Filme (1985)

  • Investimento: US$ 15 milhões
  • Bilheteria: US$ 9,9 milhões
Brazil: O Filme é um longa de ficção científica distópica dirigido por Terry Gilliam. O filme continua uma linha de produções (literárias e cinematográficas) que exploram as possibilidades de uma suposta sociedade futura formada pela perpetuação (muitas vezes absurda) dos valotres e dos costumes da modernidade, como foi feito com Laranja Mecânica (1984). Hoje em dia, é um filme cult, mas na época foi pura frustração. Há uma teoria que afirma que o título é uma referência aos filmes da década de 40-50, nos quais o destino dos indivíduos que queriam fugir da lei era o Brasil. Segundo outra teoria, o nome se deve à mítica Ilha Brasil e sua visão de paraíso, bastante popular no Reino Unido. O longa, porém, não faz nenhuma menção direta ao nosso país. Brazil concorreu a dois Oscars: melhor roteiro original e melhor direção de arte.

10. Irmãos de Sangue (1995)

  • Investimento: US$ 25 milhões
  • Bilheteria: US$ 13,1 milhões
Tanto o diretor Spike Lee quanto todo mundo esperava que Irmãos de Sangue fosse um blockbuster, mas não chegou nem perto. Um jovem traficante, que sonha em largar a vida do crime, é apontado como o principal suspeito da morte de um criminoso rival, mas seu irmão se apresenta na delegacia como o autor do assassinato. Pelo menos a crítica o considerou um bom filme.

9. Duna (1984)

  • Investimento: US$ 40 milhões
  • Bilheteria: US$ 30,9 milhões
A crítica até curtiu, mas o filme de David Lynch não agradou o público em geral, apenas quem curte ficção científica. A história mostra a ascensão messiânica do guerreiro intergaláctico Paul Atreides a líder de seu povo e a sua luta pela sobrevivência. O jovem herói lidera seus guerreiros contra um barão perverso e tenta destruir em toda a galáxia o comércio da especiaria, que é uma droga alucinógena produzida no planeta deserto.

8. Speed Racer (2008)

  • Investimento: US$ 120 milhões
  • Bilheteria: US$ 44 milhões
Outra bomba dos Wachowski na bilheteria, mas que tem o carinho de um público mais seleto — especialmente os fãs da série de anime e mangá japonês "Speed Racer", na qual o filme é baseado. Nascido em um família de pilotos de carros, Speed Racer é uma estrelas das corridas. Ao negar uma oferta lucrativa do empresário da Royalton Indústrias, Speed o deixa furioso e acaba descobrindo a corrupção dos patrocinadores em corridas. Para salvar os negócios da família, Speed participa do mesmo rally que matou seu irmão, para desafiar um magnata corrupto.

7. Mandando Bala (2007)

  • Investimento: US$ 39 milhões
  • Bilheteria: US$ 12,8 mihões
Um filme extremamente violento e distópico que fala sobre controle de armas e critica o governo Bush. O longa cheio de reflexões sociais agradou jornalistas, mas não o público. Após salvar um recém-nascido da mãos de assassinos, o atirador Sr. Smith se une a uma prostituta chamada DQ para proteger o bebê de outros ataques. Um assassino profissional os persegue, e Smith e DQ descobrem o plano de um senador para tirar medulas de bebês.

6. Cidade dos Sonhos (2001)

  • Investimento: US$ 15 milhões
  • Bilheteria: US$ 7,2 milhões
Hoje é um clássico cult, mas na época o público não curtiu, não. Escrito e dirigido por David Lynch, o projeto inicial era fazer uma série de TV para a rede ABC, após o sucesso de Twin Peaks anos antes. A emissora abandonou o projeto, e Lynch contou com o apoio do Canal+, da França, para terminar seu trabalho, agora como filme — que lhe rendeu o prêmio de melhor diretor no Festival de Cannes. Há inúmeras cenas lúdicas e oníricas que só Lynch sabe fazer.

5. A Felicidade Não Se Compra (1944)

  • Investimento: US$ 3,18 milhões
  • Bilheteria: US$ 3,3 milhões
Se hoje é um clássico do Natal, na época o público não ficou tão encantado assim com A Felicidade Não Se Compra. Clarence é um espírito candidato a anjo que recebe a missão de ajudar um homem muito valoroso, porém desiludido. George Bailey está à beira do suicídio quando é salvo por Clarence, que lhe mostra como ele é importante na vida de muitas pessoas. Mesmo com uma bilheteria mediana, o diretor Frank Capra não tem muito do que reclamar. O filme teve cinco indicações ao Oscar: filme, diretor, ator (James Stewart), montagem e som. Não ganhou nada, mas se tornou eterno na mente de todos nós.

4. Amor à Queima-Roupa (1993)

  • Investimento: US$ 14 milhões
  • Bilheteria: US$ 12,3 milhões
O roteiro de Quentin Tarantino não agradou muito os espectadores em 1993, embora hoje seja considerado ótimo. Promovido como Bonnie e Clyde dos anos 90, recebeu críticas bem positivas na época de seu lançamento. Clarence é fã de Elvis Presley e histórias em quadrinhos. Ele se envolve com Alabama, uma prostituta contratada pelo chefe de Clarence como presente de aniversário. Os dois se apaixonam e se casam, mas a tentativa de Clarence de tirar Alabama das ruas acaba fazendo com que o casal fique com uma mala cheia de cocaína que pertence à máfia.

3. Planeta do Tesouro (2002)

  • Investimento: US$ 140 milhões
  • Bilheteria: US$ 38,2 milhões
O bonito filme da Disney foi bem nas críticas, mas a produtora errou feio na estratégia, lançando a animação na mesma época em que Harry Potter e a Câmara Secreta007 - Um Novo Dia Para Morrer Meu Papai é Noel 2. Perderam feio. Outro "erro" talvez tenha sido lançar uma animação clássica depois de a Pixar dominar o mundo e Shrek ter virado o fenômeno da DreamWorks. Jim Hawkins é um adolescente que encontra o mapa de um grande tesouro, escondido tempos atrás por um pirata espacial. Juntamente com alguns amigos, ele parte em uma grande nave espacial, que tem o formato de uma caravela, em sua busca. Porém, as maiores ameaças que enfrentará no decorrer de sua jornada não serão suficientes para prepará-lo para o pior: a inesperada traição de um de seus melhores amigos.

2. Sunshine: Alerta Solar (2007)

  • Investimento: US$ 23 milhões
  • Bilheteria: US$ 3,7 milhões
O filme de Danny Boyle teve uma recepção calorosa na época, mas experimentou a frieza do público, mesmo com um elenco com nomes famosos, como Chris Evans, Rose Byrne e Cillian Murphy. Em 2057, com a Terra em perigo devido ao Sol agonizante, uma tripulação é enviada para reiniciar o Sol com uma enorme bomba estelar, um dispositivo nuclear com massa equivalente à ilha de Manhattan. O roteiro do filme foi baseado em fundos científicos que levam os personagens em uma jornada psicológica. Boyle contratou um elenco internacional para o filme e fez os atores viverem juntos para aprenderem tópicos relacionados a seus papéis. Para fazer os atores reagirem realisticamente aos efeitos especiais que seriam colocados na pós-produção, os cineastas construíram cenários completos para servirem como pistas.

1. A Invenção de Hugo Cabret (2011)

  • Investimento: US$ 170 milhões
  • Bilheteria: US$ 73 milhões
O filme foi um sucesso nas premiações, e Scorsese venceu como melhor diretor no Globo de Ouro. Infelizmente, o público não foi tão receptivo assim. Hugo é um garoto de 12 anos que vive em uma estação de trem em Paris no começo do século 20. Seu pai, um relojoeiro que trabalhava em um museu, morre momentos depois de mostrar a Hugo a sua última descoberta: um autômato, sentado em uma escrivaninha, com uma caneta na mão, aguardando para escrever uma importante mensagem. O problema é que o menino não consegue ligar o autômato nem resolver o mistério.
Este texto foi escrito por Rodrigo de Lorenzi via n-Experts.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Bottom Ad

Leitores Anônimos

Pages