Qual é o problema com o filme novo do Batman? - Leitores Anônimos

Post Top Ad

Leitores Anônimos

Qual é o problema com o filme novo do Batman?

Compart

Batman vs Superman pode ter sido um filme divisivo na opinião do público, mas há um consenso positivo quando se trata da versão do Cavaleiro das Trevas proposta pelo diretor Zack Snyder e encarnada por Ben Affleck vista no longa-metragem lançado em 2016, além de Esquadrão Suicida e Liga da Justiça.

Próximo da caracterização traçada por Frank Miller nas HQs dos anos 80 e se influenciando no estilo de luta dos prestigiados games da série Arkham, o "Batfleck" surpreendeu os espectadores e até mesmo aqueles que tanto se mostraram contrários à escalação do ator. Antes de tudo, também os executivos da Warner, que viram ali uma nova oportunidade de lucrar com o personagem mais rentável da DC Comics e que já tinha feito mais de 2 bilhões de dólares só com a trilogia dirigida por Christopher Nolan, finalizada em 2012.
Da mesma forma que anunciaram o filme solo do Flash e outros projetos em 2016, a Warner e a DC planejavam lançar um longa do Homem-Morcego em alguma data remota de 2018 após os eventos de Liga da Justiça, depositando a confiança em Affleck para dirigir e escrever o roteiro, que teria a colaboração de Geoff Johns (chefe criativo da editora) e, posteriormente, um tratamento revisado por Chris Terrio (ganhador do Oscar por Argo e corroteirista de BvS e Liga da Justiça).
Com Affleck revelando não estar contente com a história desenvolvida em seu roteiro, consecutivamente adiando o início da produção, rumores começavam a surgir sobre a continuidade do projeto, muito provavelvemente por uma insatisfação do estúdio diante do fracasso comercial de A Lei da Noite. Dirigido, escrito, produzido e protagonizado por Ben Affleck, o filme de gângster teve orçamento estimado em US$ 108 milhões, mas faturou apenas US$ 23 milhões mundialmente.
Pouco tempo depois, o cenário não mudou para melhor. O ano seguinte (2017) começou com boatos de que Affleck estava deixando a direção de The Batman, e em fevereiro um anúncio oficial pela própria Warner Bros. confirmava a decisão, apresentando um empolgado Matt Reeves (diretor de Cloverfield: Monstro) como diretor, produtor e roteirista da aventura solo do Homem-Morcego, recebendo as boas-vindas do próprio intérprete de Bruce Wayne no Twitter.
Promovendo o lançamento de Planeta dos Macacos: A Guerra, Reeves contou em entrevista que começaria um novo roteiro do zero, desprezando os tratamentos antecessores escritos por Affleck e Johns, algo que fomentou diversas especulações quanto à narrativa depois que o cineasta afirmou que a história estaria de fora do Universo Expandido da DC – tão logo corrigindo o fato.
Para piorar a situação, notícias passaram a inferir que Reeves estaria cortando Affleck do papel na intenção de contar uma jornada anterior à cronologia iniciada em O Homem de Aço e escalando, assim, um ator mais jovem para a proposta.
O menos empolgado entre o elenco nas coletivas de imprensa de Liga da Justiça, Affleck chegou a mencionar que sua participação como Batman estaria se aproximando do fim. Talvez estivesse desanimado com a demissão de Zack Snyder e/ou abatido por problemas pessoais; em outras entrevistas, porém, o ator tentava corrigir o mal entendido, dizendo que não era uma situação de futuro próximo, levando a entender que continuaria na franquia e sem se esquecer de demonstrar uma vontade de dirigir um filme do herói.
Na mesma semana de lançamento do filme, matérias reportavam que Reeves sondou alguns atores como Jake Gyllenhaal para a substituição, mas o ator de O Abutre Donnie Darko negou seu envolvimento, em entrevista recente para a CNA Lifestyle.

Mas, afinal, quando a produção sai do papel?

Matt Reeves finalizou o argumento no final de 2017 e, a essa altura, um tratamento do roteiro pode estar completo e sujeito a aprovação do estúdio. Nesse meio-tempo, especularam que o diretor teria desistido do filme e que a narrativa traria o arco da morte do segundo Robin, Jason Todd – fatos negados. Questionado em seu Twitter, o diretor comentou que não poderia estar mais animado com o projeto.
Por ora, o que se espera é que o filme possa estrear em 2020 e que a Warner divulgue mais notas oficiais em prol de amenizar toda a boataria que, no final das contas, apenas prejudica a imagem da DC e do estúdio.
Nesta semana, foi anunciado pelo The Hollywood Reporter que a roteirista Cristina Hodson (responsável pelo roteiro do spin-off do Bumblebee de Transformers) está desenvolvendo o roteiro de Batgirl, cargo deixado por Joss Whedon (de Vingadores: Era de Ultron) 2 meses atrás. Aquaman se encontra em fase de pós-produção; Shazam! está em filmagens; e a diretora Patty Jenkins anunciou a adição de Kristen Wiig e Pedro Pascal em Mulher-Maravilha 2 (com direito a sequências rodadas com câmeras IMAX), além de Ava DuVernay ser escalada para dirigir o projeto New Gods.
Assim, existe a possibilidade de que a Warner faça uma apresentação formal dessas e de novas produções da DC em painel na Comic-Con de San Diego. Até lá, vamos torcer para que não precisemos nos questionar também sobre um novo filme do Superman.
Este texto foi escrito por Thiago Cardoso via n-Experts.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Bottom Ad

Leitores Anônimos

Pages