O que já sabemos sobre a prequel de Game of Thrones - Leitores Anônimos

Post Top Ad

Leitores Anônimos

O que já sabemos sobre a prequel de Game of Thrones

Compartilhar
Em maio do ano que vem, estreia a última e final temporada de Game of Thrones, para a tristeza de bilhões de fãs. No entanto, George R. R. Martin promete que não nos deixará totalmente órfãos, e uma nova aventura no mesmo universo já foi prometida por ele e pela HBO.
Apesar de não se tratar do que os fãs mais gostariam de ver — o período da guerra alguns anos antes da história atual —, o prequel já vem aguçando a curiosidade de muita gente. O nome da série e os detalhes ainda seguem no escuro, mas o piloto encomendado já foi escrito e está sendo ajustado.
Veja abaixo tudo o que já sabemos sobre essa nova história das Crônicas de Gelo e Fogo!

Só em 2020...


... Ou até mesmo depois. Por mais ansiosos que estejamos, a HBO já deixou bastante claro que nada vai ser lançado enquanto a principal trama da franquia não terminar. Afinal, ninguém quer desviar as atenções do gran finale.
Segundo George Martin, esse é apenas um piloto, então a série não está garantida. Ainda assim, é difícil que não seja um sucesso, considerando sua predecessora.
Lembrando que a HBO encomendou quatro roteiros para pilotos de spin-offs, e esse foi escolhido. Contudo, o próprio Martin disse que os outros não necessariamente foram 100% descartados; ainda é possível que se resgate algum deles.

Showrunner definida

Assim como em GoT, George Martin vai participar ativamente da nova série, principalmente na parte criativa, colaborando com o roteiro, mas não escrevendo diretamente. A produtora escolhida para comandar o show foi Jane Goldman, que já tem certa experiência em aventuras, como Stardust: O Mistério da EstrelaX-Men: Primeira ClasseKingsman: O Serviço SecretoA Mulher de Preto e Kick-Ass.
Ela já está trabalhando com George Martin, que escreveu em seu blog um pouco sobre o que já está acontecendo com a série e como está sendo acompanhar Goldman durante o processo: "Eu definitivamente estou envolvido ... mas, realmente, os elogios aqui deveriam ir para Jane. Tem sido uma emoção absoluta trabalhar com ela ... e meu Deus, que talento", comentou.

A Longa Noite

A série vai se estabelecer um tempo depois que os Caminhantes Brancos começam uma forte ofensiva sobre Westeros, com o objetivo de dominar todas as terras.
A Longa Noite se inicia mais ou menos por aqui, quando criaturas misteriosas vindas do Norte, onde é sempre inverno, começam a avançar sobre as terras dos homens.

Origem dos Caminhantes Brancos

Graças ao Bran, a gente pode até pensar que entende alguma coisa sobre como surgiram esses caminhantes brancos aterrorizantes, mas talvez saibamos tanto quanto o Jon Snow. A nova série tem grandes chances de trazer mais detalhes sobre a origem desses monstros de gelo capazes de transformar os mortos em soldados.
A própria série atual já mostrou como o primeiro Caminhante Branco foi criado — quando Leaf, uma das jovens dos Filhos da Floresta, esfaqueou um humano com vidro de dragão.
Essa pode ser uma das partes mais exploradas no prequel que ainda não teve tempo de ser muito aprofundada até agora.

Cronologia

Compreender o universo das Crônicas de Gelo e Fogo não é fácil se você tem dificuldade de acompanhar fatos históricos! Então, relembrando um pouco aqui da cronologia que já foi apresentada nos livros e até mesmo na série, sabemos que a referência para o período em que se passam os fatos atuais — das 8 temporadas de GoT — são cerca de 300 anos desde que Aegon, o Conquistador, se tornou o rei dos Sete Reinos, dando início à dinastia Targaryen.
Pois bem, a nova série vai se situar muitos, mas muitos anos antes disso, quando sequer se imaginaria que a humanidade evoluiria para essa organização social.
A contextualização histórica desse prequel será o declínio da Era dos Heróis, entre 6 e 9 mil anos antes dos acontecimentos de Game of Thrones.
Na época, quando os Filhos da Floresta e Os Primeiros Homens disputavam o poder, ambos os grupos assinaram um pacto de paz que deu início à chamada Era dos Heróis. Considerando que a Longa Noite começa quando essa Era está em seu fim, é possível que esses fatos não sejam tão centrais no spin-off, ao menos não o suficiente para aparecerem — talvez apenas como flashback.
Foi também nesse período que se situa a invasão dos Ândalos sobre Westeros, vindo de Essos pelo mar estreito. É bastante possível, portanto, que tenhamos dentro da série também uma participação de pessoas de fora de Westeros, como aconteceu em Game of Thrones.

Sem dragões, a princípio

Se você curte a participação desses charmosos cuspidores de fogo, então aproveite para curtir Drogon, Rhaegal e Viserion, pois, se segundo o que se sabe até agora e uma coerência histórica, esse prequel de GoT não deve contar com dragões.
De acordo com as pistas dadas nos livros, a região da Valyria, onde era feito o aço valiriano e surgiram os primeiros dragões, só começou a girar em torno desses animais depois que a Longa Noite terminou. Como a série não deve cobrir tantos séculos, é muito difícil que eles de fato apareçam — a menos que a produção decida seguir por outro caminho e mostrar os dragões se desenvolvendo em um lugar diferente antes de chegar até a Valyria.

Os personagens

"Ok, mas Game of Thrones sem os Starks, os Lannisters e os Targaryens — que graça vai ter?" Você deve estar se peguntando. Lembre-se que, apesar de estar ambientada nas mesmas terras, essa série deve ter um clima muito diferente da produção à qual estamos acostumados, já que serão culturas completamente diferentes — e primitivas!
Por outro lado, não ter Sansa, Arya e Jon não significa que nada será familiar. Essa época que vai ser relatada pode muito bem ser a grande origem de tudo, com acontecimentos que culminaram na realidade atual, inclusive a construção das castas e das dinastias que tomaram e perderam o poder depois.
Os próprios Filhos da Floresta e os Primeiros Homens provam isso, pois marcam presença em ambas. Quer um exemplo? O Corvo de Três Olhos que orienta Bran quando ele começa a desenvolver suas capacidades psíquicas, por exemplo, é um personagem que data de centenas ou milhares de anos atrás. Nada impede, portanto, que ele apareça e ganhe destaque.
A essa altura do campeonato, a galera já começa a pirar na possibilidade de o próprio Bran dar as caras na série, já que há uma teoria um tanto controversa dos fãs de que um dos possíveis desdobramentos na season finale de GoT seria o de que o garoto consegue viajar no tempo, entrando na mente e no corpo de pessoas de outras épocas para conhecer suas perspectivas — algo que inclusive já vimos acontecer.
Deixemos essa possibilidade em aberto, afinal não adianta alimentar a ansiedade, e vamos focar em outro Bran Stark — este, sim, tem chances reais de aparecer, o que levaria os fãs à loucura. Sabe-se que Brandon, o Construtor, foi o primeiro Rei do Norte e o responsável por construir Winterfell e a Grande Muralha, alem de ter comandado a obra da Ponta Tempestade ao lado de Durran Godsgrief, o primeiro Rei da Tempestade.
Acontece que Brandon, o Construtor, foi ninguém menos que o primeiro Stark, fundador da casa de seu nome, e fazia parte dos Primeiros Homens!
Outras casas que vimos em GoT, algumas menos importantes na série principal, tambem têm origens que remontam a esse mesmo período, como é o caso dos Dondarrions — lembra de Beric Dondarrion? — e dos Casterly. Estes últimos não chegam a aparecer na história atual, mas o nome nos é familiar, já que Rochedo Casterly é a terra onde vivem os Lannisters.
Embora a lenda diga que um Lannister sempre pague suas dívidas, Rochedo Casterly na verdade é uma dívida histórica dos Lannisters com a família que dá nome ao lugar. Essa dinastia de lordes era a mais rica de toda a Westeros, graças ao fato de ter encontrado ouro em seu rochedo, mas acabou desaparecendo ao longo dos séculos e perdendo seu terreno para Lann, o Esperto, o fundador da casa Lannister.

Novos sobrenomes

Além desses clãs que trazem certa familiaridade, é bem provável que o público seja apresentado a diversas outras casas no período de sua fundação. Veja algumas:
Casa Reyne: antigos vassalos dos Lannisters, tinham como brasão um leão vermelho e seu território era Castamere. Está lembrado de onde já ouviu esse nome?
Casa Dayne de Starfall: Ancestral da casa Dorne, cujo último membro foi o cavaleiro Arthur Dayne, que morre pelas mãos de Ned Stark e Howland Reed algumas décadas antes do período em que se passa GoT.
Casa Gardener: Jardim de Cima é agora a casa dos Tyrells — bem, antes que eles também fossem extintos, não é? Milênios antes, no entanto, quem morava ali eram os Gardeners.
Joramun e Brandon: Se você achava que Jon Snow tinha sido o único comandante da Muralha a quebrar as regras e se unir ao povo para além da Muralha para salvar a própria pele, está enganado! Antes dele existiu um segundo Brandon Stark, conhecido como O Rei do Inverno, que juntou forças com um lendário rei Além da Muralha, Joramun, para lutar contra os Caminhantes Brancos.

Lendas e criaturas misteriosas

Além das casas em si, homens com poderes especiais assim como os de Bran também devem aparecer, como é o caso dos próprios Filhos da Floresta e dos homens que conseguiam enxergar através da visão dos lobos. Ah, e isso sem falar de gigantes! Embora a gente ainda não saiba muito bem o que esperar da trama em si, sem dúvida podemos contar com batalhas e uma grande guerra entre homens e Caminhantes Brancos, com a participação de toda a sorte de criaturas possíveis — e os gigantes devem, sim, estar entre elas.
Um ponto muito interessante sobre esse prequel é justamente o fato de acontecer tantos milênios antes das histórias atuais, pois poderemos conhecer as origens de muitos dos mitos e lendas contados pelos Meistres e, principalmente, saber se todas aquelas criaturas místicas — como os próprios Wargs — realmente existiam e como foi seu declínio e sua participação na Longa Noite.
Isso sem falar nas referências religiosas! O povo da cidade de Asshai deve aparecer, já que os magos e as feiticeiras vermelhas — da mesma linha de Melisandre — datam de muito tempo atrás e são uma vertente ainda pouco explorada em GoT.
A lenda de Azor Ahai, Nissa Nissa e o Senhor da Luz também pode estar relacionada com a época do prequel. Lembra-se do tal Príncipe Prometido que a Melisandre insistia em tentar trazer à vida, para isso sacrificando todo herdeiro que aparecia na frente?
Esse príncipe renascido seria a Azor Ahai reencarnado — uma figura lendária ligada ao Senhor da Luz que forjou a famosa espada Luminífera e a utilizou para derrotar o Grande Outro, conforme reza a lenda. Para isso, no entanto, a espada precisou ser testada e ter seus poderes liberados, e ele só conseguiu fazer isso mergulhando a lâmina no peito de Nissa Nissa, sua esposa.
Por falar em lendas e mitos, há também outra história que se passa a essa altura e pode ser trazida no prequel: a do Rei da Noite da Patrulha, que não é o mesmo Rei da Noite dos Caminhantes Brancos.
O último é aquele personagem que vemos comandando os exércitos dos Outros, enquanto o primeiro é uma figura lendária conhecida tanto entre as pessoas de Westeros quanto entre o povo livre para além da Muralha. Ele seria um Lorde Comandante da Patrulha da Noite, o 13º em seu cargo, que encontrou uma mulher gelada e com olhos azuis brilhantes e a levou para casa, para viver com ele na Muralha, declarando-se Rei da Noite, reinando sobre os colegas vigilantes e realizando sacrifícios humanos.
Foi para combater esse Rei que Joramun e Brandon se uniram, embora fossem inimigos. Tudo isso acontece perto do fim da Longa Noite, então o timing bate com o tempo do prequel. Para efeito de comparação, Jeor Mormont, que é comandante da Patrulha da Noite quando a série começa, é o 997º a ocupar a posição.
Por falar em Patrulha da Noite, é bastante provável que nesse spin-off conheçamos o período no qual a Muralha foi construída, graças a essa possível participação de Brandon, o Construtor; o alinhamento dos períodos também é favorável para isso.
Se isso acontecer, também veremos Winterfell em seus anos iniciais, já que ambos foram criados em paralelo pelo construtor da família Stark.
Tendo estabelecido o tempo no qual a série vai se passar, George R. R. Martin tem um mundo de possibilidades a explorar, todas elas fascinantes para os fãs!
Este texto foi escrito por Lu Belin via nexperts.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Bottom Ad

Leitores Anônimos

Pages